Projetos

Guia da Flora Campestre

Guia da Flora Campestre dos Morros Granilíticos de Porto Alegre

O município de Porto Alegre se destaca por ser uma capital brasileira onde ainda ocorrem significativas porções de vegetação nativa, principalmente, sobre a cadeia de morros graníticos local. Esta cadeia de morros, que ocupa cerca de um terço da área total do município, é um importante patrimônio ambiental, abrigando cerca de 800 espécies campestres, 172 espécies de árvores, dentre outros representantes da flora e fauna nativa com origem em variadas regiões da América do Sul. Além disso, a vegetação dos morros protege as nascentes das principais micro-bacias hidrográficas que drenam o município, conservam a estrutura do solo e atenuam os efeitos do clima. Apesar de sua significativa contribuição para a qualidade de vida da população, a expansão desordenada da urbanização vem alterando estas áreas naturais, contribuindo para um processo de extinção local desses elementos.

Apesar de Porto Alegre contar com publicações de extrema relevância para a gestão ambiental do município, como o Atlas Ambiental de Porto Alegre e o Diagnóstico Ambiental de Porto Alegre, publicações recentes que abordem, especificamente, o atual conhecimento sobre a diversidade vegetal do município são escassas. Desta forma, o presente projeto foi idealizado buscando contribuir com essa lacuna, destinando-se especialmente em tratar da vegetação campestre dos morros graníticos, um ecossistema com elevada riqueza de espécies e de relevante importância na manutenção de serviços ambientais regionais.

O projeto tem como objetivo a produção de um guia ilustrado sobre a flora campestre dos morros graníticos de Porto Alegre, contendo informações sobre espécies chave, diversidade taxonômica e fitofisionômica e o estado de conservação desta vegetação. A tiragem de 1000 exemplares será distribuída gratuitamente em escolas públicas, órgãos públicos e para a sociedade interessada através do desenvolvimento de ações de formação para professores e técnicos ambientais, assim como, em ações de divulgação do projeto.

A realização do projeto cabe a Equipe do Laboratório Estudos em Vegetação Campestre do Departamento de Botânica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (http://sites.google.com/site/biomapampars/) em associação com a Igré – Associação Sócio-Ambientalista. Os recursos são provenientes de edital do Fundo Municipal do Meio Ambiente da Secretaria Municipal do meio Ambiente (SMAM) de Porto Alegre. As fotos foram registradas pelo fotógrafo Adriano Becker (http://www.adrianobecker.com/) e o design gráfico é assinado por Kelly Rhein Gerevini (http://www.krgdesign.com.br/). A previsão de conclusão é para o segundo semestre de 2011.

Morro Tapejara Flora Campestre